Como fazer um marketing de moda diferenciado?

31 DE julho DE 2018 ESCRITO POR Move On

 

Com a estação mais quente do ano se aproximando, as empresas de moda correm para lançar a coleção Primavera/Verão 2019. O calendário desse ramo de atividade muda conforme a nova estação climática surge, provocando o lançamento de nova coleção. Durante esse processo, há o período de baixa, momentos iniciais da campanha, e altas, o ponto auge. As pesquisas das tendências de moda são feitas com antecedência e, geralmente, seguem o que os grandes estudiosos do mercado têxtil ditam. O que nenhuma empresa do segmento deixa de lado é o marketing de moda. Seja através da construção de identidade, estilo de vida, de ter um e-commerce com fácil navegação, ter redes sociais atuantes e até trabalhar com digital influencers. O marketing é peça obrigatória nas empresas de moda.

 

O consumo de produtos e serviços mudou nos últimos anos. Antes, os consumidores corriam atrás das marcas. Hoje, são as marcas que correm atrás dos seus clientes. Essa mudança foi bastante influenciada pela internet. Esse fenômeno provocou a igualdade de oportunidade para diversas empresas e possibilitou a escolha do consumidor sobre a compra. É inegável que a internet possibilitou o aumento do consumo. Em contrapartida, o consumidor passou a ser atingido por diversos estímulos e teve cada vez menos tempo para absorver as informações. Isso provocou aversão aos comerciais, merchandising e qualquer tipo de propaganda excessiva que invadem o seu dia-a-dia. Os formatos tradicionais de marketing, que foram utilizados durante décadas, não fazem os mesmos efeitos no novo consumidor.

 

 

As empresas do ramo têxtil sempre estiveram no casting de clientes da Move On. A primeira experiência no segmento foi com uma marca de moda masculina. A empresa não investia em marketing e se limitava a viver da reputação que tinha criado. Inicialmente, o nosso objetivo era resgatar o investimento na área de marketing e impulsionar a marca para o seu público-alvo. O mesmo aconteceu com outro cliente, dessa vez voltado para moda feminina e que tinha mais de 30 anos de mercado. O diagnóstico foi parecido com o cliente anterior e a agência foi responsável por desenvolver a campanha de marketing da coleção Primavera/Verão 2016, desde a concepção da ideia ao start nas mídias sociais.

 

No ano seguinte, a Move On iniciou os trabalhos com as lojas Niná e Maison Niná de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco. Os empreendimentos são dedicados ao público feminino e são bem conhecidas na cidade de mais de 130 mil habitantes. Após o trabalho de criação de campanhas, registro de imagens, comunicação de eventos e ações de marketing, as empresas passaram a se destacar no mercado local e tiveram resultados surpreendentes. Na estratégia da agência estava, principalmente, o uso de redes socais. Para as empresas, utilizamos os seguintes passos, que você também pode utilizá-los no seu negócio:

 

  • Conheça o seu mercado

Para fazer um marketing de moda diferenciado é preciso conhecer o seu mercado de atuação. Não tem como você investir em algo que não é tendência na estação vigente. Além de não vender o produto, a sua marca será taxada de desatualizada. Para ter status de tendência, a indústria têxtil realiza diversas pesquisas. Vários profissionais estudam novos tecidos, novos pigmentos de cores e novas tecnologias. Após esse trabalho, as tendências são lançadas para o mercado. Por isso, a primeira lição que você deve saber é conhecer as tendências da estação para não dar uma bola fora para o seu cliente. A cada estação, a equipe da Move On estuda as tendências para propor ao público-alvo das marcas o que há de novo no mercado. Além das pesquisas, também realizamos consultorias com profissionais da área. Essa rotina pode parecer cansativa, mas garante a efetividade da campanha.

 

 

  • Conheça o seu consumidor

Não adianta você vender uma roupa para o público teen fazendo uma coleção para o público kids. Deve existir uma coerência entre o que você vende e o perfil do seu público-alvo. É preciso saber a sua faixa etária, seu perfil social, quais são seus gostos, suas aspirações, o que ele odeia e o que fazem comprar seu produto ao invés da concorrência. Conhecer o seu consumidor é ser assertivo em suas ações. É atingir o alvo. Todas as vezes que um novo cliente entra na agência, a equipe da Move On realiza um estudo de público-alvo. Nessa análise é possível identificar as brand personas da marca e o discurso que serão utilizados no marketing. Há um cliente da agência que é uma loja de roupas infantis. O senso comum acredita que a comunicação deve ser dirigida para as crianças. Porém, quem tem o poder de compra são os adultos. Logo, o discurso adotado pela Move On é destinado aos responsáveis pelas crianças e não para os pequenos.

 

  • Conheça a sua concorrência

O próximo passo para você desenvolver um trabalho de marketing de moda diferenciado é conhecer a sua concorrência. Porém, deve-se prestar atenção nos movimentos que as outras marcas ou lojistas estão fazendo e não copiar. Esse processo chama-se de benchmarking, ou seja, a comparação de produtos, serviços e práticas empresariais. O seu concorrente nunca deve ser perdido de vista. Ele pode estar utilizando alguma tendência ou técnica que também poderá ser útil para o seu negócio. Mas atenção porque ele NÃO deve ser o motivo de seu trabalho. Mesmo prestando atenção em suas ações, lembre-se que o seu alvo é o seu público. Nas contas geridas pela Move On, sempre é realizada análises da concorrência dos clientes. Com esses dados são feitas comparações e desenvolvidas ações que favorecem os negócios administrados pela agência.

 

  • Tenha um propósito

Qual o motivo da existência da sua marca? Essa pergunta está cada vez mais comum entre os novos consumidores. Com os escândalos de uso de mão-de-obra escrava e até da utilização de pelos animais em peças de roupas, a curiosidade do consumidor sobre o histórico das empresas aumentou. Escolher uma causa e ser embaixador dela é o que está na moda. Há marcas que utilizam rendeiras para fazer as peças e assim ajudam o desenvolvimento de uma determinada região. Há outras que são sustentáveis e poluem menos o meio ambiente. Há outras que têm o viés mais assistencialista, ajudando pessoas ao redor do mundo. A sua vantagem competitiva surgirá quando você apresentar o seu propósito para o seu público. Se o seu objetivo é apenas gerar lucro, será mais uma dentre tantas outras empresas no mercado. Os novos consumidores não querem comprar por comprar, eles querem defender os valores que as marcas propagam como seus.

 

 

  • Venda produtos em que acredita

Você venderia uma roupa que não usaria? Como podemos convencer um comprador que um produto é bom se nós mesmos não acreditamos nele?! Por conta disso, produza ou escolha peças que você confia e até as vista. Lembre-se que você é o principal garoto(a) propaganda da sua marca. Você é o brand ambassador, ou embaixador da marca, da sua empresa. É em você que os seus clientes vão se espelhar para fechar negócio. Será que você compraria um carro da montadora X sabendo que o vendedor tem um veículo da montadora Y? Além disso, venda um produto de qualidade. Não adianta gastar dinheiro e energia com ações de marketing se as suas peças são de péssima qualidade. O consumidor não é besta e não comprará mais a você. Uma das clientes do ramo têxtil da Move On realiza as compras pessoalmente das roupas de suas lojas. Ela traz para si a responsabilidade de escolher peças de qualidade e que agradem ao seu público-alvo.

 

  • Fale com o seu público-alvo

Não basta fazer tudo o que vimos acima se você não consegue falar com eficácia para o seu público. Você precisa escolher os melhores canais de comunicação e falar a linguagem que o seu cliente entende. Para marcas e lojas de roupas, os canais queridinhos são o Facebook e Instagram. Com o passar do tempo, essas redes socais aprimoraram o seu uso e, atualmente, é possível concluir a compra das peças no próprio aplicativo. Ainda é possível utilizar um recurso que tem se destacado nos últimos meses – os stories. Essas publicações, que se apagam em 24h, são consumidas de forma feroz pelo público. A utilização de e-mail marketing ou WhatsApp para comunicar ofertas exclusivas, lançamentos e até mensagens de feliz aniversário também é muito útil na estratégia de marketing. É comunicação instantânea e com a linguagem do seu público.

 

 

  • Invista na imagem da sua marca

Posicionar-se no mercado é falar para o seu público quem você é. Se o seu consumidor é da classe X, você deve ter uma imagem coerente com o seu público-alvo. Associe à sua empresa características de profissionalismo, inovação e modernidade. Por isso, não tenha pena de investir em ensaios fotográficos com bons profissionais, a contratar agência de publicidade que traga resultados e a investir em meios de propagação da sua comunicação. Essas ações, quando feitas de formas eficazes, trarão notoriedade para a sua empresa. Quando o consumidor observar que a sua marca é bem organizada, tem um e-commerce moderno, ele agregará valor para a empresa. Utilizar digital influencers para representar a marca também é uma boa estratégia. Eles passaram a credibilidade para a sua empresa e você sairá lucrando. Esse é o diferencial para ter resultados surpreendentes.

 

  • Invista no atendimento

Quando o atendimento é ruim, o consumidor não vira cliente. Esta é uma verdade absoluta. O seu atendimento poderá fazer com que o consumidor compre novamente ou coloque você na sua lista negra. A experiência negativa poderá se transformar numa dor de cabeça para a sua empresa. Para quem tem loja virtual, a atenção deve ser redobrada. Como o contato não é presencial, o cliente quer ser atendido na hora em que solicita alguma demanda ou faz alguma reclamação. Se o seu e-commerce não apresenta uma página de fácil navegabilidade, a raiva dele é multiplicada e a boa experiência com o usuário vai de água a baixo. Nas redes sociais, é preciso responder as dúvidas e críticas do público, promover um conteúdo relevante e agregar valor à marca. Se você for lojista, os seus vendedores têm esse papel de atender bem e realizar uma pós-venda de excelência.

 

  • Promova eventos

Para estar sempre na memória do seu cliente, é preciso realizar ações com frequência. Por isso, desenvolva um calendário de eventos para a sua marca e deixe o seu público atualizado sobre as novidades da empresa. Lançamentos de coleção, ação social, aniversário da marca, confraternizações, entre outros. Há várias opções de realizar eventos para o seu público. Você pode até pensar que não está com bala na agulha para gastar dinheiro com isso. Porém, não é preciso investir muito quando se tem criatividade. Lembre-se que moda não se trata apenas de roupa, mas sim, de estilo de vida. Crie um relacionamento com o seu cliente e colha os frutos desse investimento.

 

 

  • Seja inovador

Após toda a estruturação de um marketing de moda diferenciado, está na hora de você abrir os olhos para a inovação. Estude, pesquise, corra atrás de novidades. Traga tendências, até de outras áreas, para o ramo da moda. Mesmo focado no seu mercado, tenha a curiosidade de ir atrás de algo que está dando certo em outro ramo. Imagine você saindo na frente da sua concorrência e trazendo algo disruptivo para o seu negócio? Isso separará você dos demais e ainda ganhará crédito com os clientes. Mas para ser inovador é preciso deixar o medo de lado. Dar o primeiro passo é sempre mais difícil, mas após essa ação as outras passadas serão mais leves e confiantes. O mercado da moda é versátil. Se você parar de inovar, vai ser passado para trás.

 

Caso você esteja com alguma dúvida sobre como introduzir o Marketing de moda para o seu empreendimento, entre em contato com a Move On através do e-mail: atendimento@agenciamoveon.com.br.

A receita para o marketing gastronômico de sucesso

29 DE Maio DE 2018 ESCRITO POR Move On

Imagem: Pixabay

 

Comida é algo olfativo, mas também visual. Ela não precisa ser apenas boa, mas tem que repassar a mensagem de que é realmente deliciosa. Quem trabalha com alimentação sabe que “o livro vende pela capa”, logo, uma torta com uma suculenta cobertura vende mais do que um simples bolo formigueiro. E na internet, como isso funciona? Nas mídias digitais, o marketing gastronômico ganhou plataformas que favorecem esse ramo de atividade. O Instagram e o Pinterest são exemplos de redes sociais mais usadas por empresas da área e consumidores fiéis. Porém, divulgar um restaurante ou lanchonete não é apenas tirar uma fotografia e postar. É preciso criar uma estratégia de marketing que aumentará o alcance do estabelecimento e, por conseguinte, alavancará sua lucratividade.

 

O brasileiro é um povo que ama comer. Isso é tão verdade que a nossa culinária é tão diversificada quanto o tamanho territorial do País. Nos últimos anos, essa área ganhou mais destaque em diversas mídias. O fenômeno ocorreu pelo aumento de programas matinais e de reality shows gastronômicos. Quem tem uma empresa nesse ramo tem de surfar na onda e não pode levar uma “vaca” da concorrência. Delícias da Juli foi a 1ª cliente de marketing gastronômico da Move On. A empresa é um ateliê de doces e salgados de Olinda, em Pernambuco, e tinha o costume de vender para as mesmas pessoas há anos. Após o início dos trabalhos, decidimos modificar a clientela e expandir os limites do negócio. Para a empresa, utilizamos os seguintes passos, que você também pode utilizá-los:

 

1 – Desbravando o negócio

Antes de iniciar qualquer trabalho, nós conhecemos a fundo o negócio do cliente. Fazemos dezenas de perguntas, realizamos várias visitas e estudamos a concorrência. No caso da Delícias da Juli, sabíamos que o produto era bastante elogiado pelos clientes. Provamos os doces e salgados por diversas vezes e também aprovamos os produtos. O primeiro passo para um marketing gastronômico de sucesso é conhecer o seu próprio negócio. Você precisa saber quais são os seus pontos fortes e fracos e fazer uma leitura sobre sua concorrência e os seus clientes.

 

2 – Escolhendo a estratégia ideal

Após conhecer o negócio, é hora de escolher a estratégia de marketing que vai colocar a sua empresa em ênfase. As melhores estratégias saem das análises feitas no item anterior. Sabendo os seus pontos positivos, negativos e conhecendo a sua concorrência e público-alvo você saberá o que fazer para se diferenciar no mundo selvagem dos negócios. A Delícias da Juli, mesmo sendo uma microempresa, precisava se mostrar robusta e aparecer para um público maior. A nossa equipe decidiu impulsionar postagens nas mídias sociais e realizar o serviço de assessoria de imprensa, que aumentaria o alcance do empreendimento.

 

Imagem: Pixabay

 

3 – O livro se vende pela capa

Como falado no início do texto, uma torta suculenta vende mais pela cobertura do que pelo seu conteúdo. Mas como mostrar isso na internet? O primeiro passo para mostrar um produto é o fotografando. Mas não é apenas pegar um celular e clicar. É preciso passar sentimentos, emoções e despertar o desejo de consumo nas pessoas. Um fotógrafo profissional sabe a intensidade da luz ideal, qual o melhor ângulo para foto e como aquele produto ficará mais suculento. Porém, se você não tem condições de contratar um profissional, você deve fotografar, pelo menos, com um smartphone de última geração. Aquele que tem uma câmera muito boa e que vai quebrar o galho, nesse momento inicial. Além disso, terá que escolher o local mais iluminado e o melhor ângulo para que o seu produto saia delicioso na foto.

 

4 – Falando a linguagem do seu público

Não adianta falar grego para um americano. O seu produto deve falar a linguagem do seu público-alvo. Para isso, você deve criar uma persona, ou seja, um perfil de comportamento que deverá utilizar em suas peças de comunicação. Na Delícias da Juli, a nossa persona era a personagem Juli. Ela tinha as mesmas características da proprietária da marca, a chef Juliana Santos. Assim, foi possível se comunicar com o público de forma mais humanizada, carinhosa e diferenciada. Sempre tentávamos transcrever as sensações que os clientes teriam ao experimentar aquele doce ou salgado. Aguçar o desejo de consumir algo através das linguagens disponíveis deve ser uma das prioridades do marketing gastronômico.

 

5 – Mantenha um padrão na comunicação

Ter uma identidade visual definida irá diferenciar o seu negócio dos demais. Mostrar-se uma empresa profissional e não amadora fará com que o seu restaurante ou lanchonete seja visto de forma especial. Investir em cardápio, embalagem e até no padrão de postagens das redes sociais tirará vocês do mar dos iguais. Seja com a escolha da mesma paleta de cores, com a aplicação da marca nas peças ou mesmo com a criação de um estilo próprio. Não faltam opções para a manutenção da identidade do seu negócio. É preciso que tudo se encaixe no que você quer transmitir para o seu público-alvo.

 

6 – Utilize os aplicativos corretos

Chegou a hora de publicar a estratégia pensada, as imagens registradas e a linguagem criada. Escolher as melhores plataformas para o seu negócio fará a diferença para a eficácia da ação. Para comida, o Instagram e o Pinterest são os preferidos dos foodlovers. Por serem aplicativos focados em fotos, o marketing gastronômico sabe se aproveitar bem e aguçar o desejo de consumir os produtos através do direcionamento estratégico. Porém, há plataformas de geolocalização que também são úteis e levarão os potenciais clientes até o seu estabelecimento. O TripAdvisor, Ifood, Foursquare e Google Meu Negócio irão lhe ajudar a atrair novos consumidores. Caso você deseje investir num contato mais íntimo, o WhatsApp também poderá ser utilizado. Você terá a opção de separar segmentos de clientes, criar grupos e ter um relacionamento pessoal com eles.

 

Imagem: Pixabay

 

7 – Transforme o seu cliente num brandlover

Para concluir a nossa receita para o marketing gastronômico de sucesso não poderíamos esquecer do relacionamento com o cliente. Atualmente, o consumidor está muito exigente. A lógica do mercado mudou e o público passou a ter vez e voz. Quando uma marca não investe no relacionamento, ela perde um potencial cliente e toda a sua rede de amigos. Por isso, a marca deve trabalhar para que os seus consumidores se transformem em brandlovers, ou seja, amantes do negócio. Através de uma excelente relação, os clientes serão fiéis escudeiros do restaurante ou lanchonete. Além da fidelização, ele indicará o serviço para os seus amigos e familiares. Mas não pense que esse contato é apenas fisicamente. Na internet, você deve dar uma atenção redobrada. Uma mensagem que não é respondida é vista como desprezo pelo internauta. Outra situação é o tratamento mais frio do que a própria relação cibernética. O seu cliente tem de ser tratado a pão-de-ló, com direito a emojis de coraçõezinhos e tudo que faça ele se sentir bem acolhido.

 

Com a Delícias da Juli, conseguimos o objetivo de aumentar o alcance da marca. Diversas pessoas, inclusive de cidades vizinhas, passaram a encomendar os doces e salgados da empresa. Foi preciso que a proprietária contratasse auxiliares e aumentasse sua cozinha para que as demandas fossem cumpridas. Com o serviço de Assessoria de Imprensa, a Delícias da Juli foi notícia nos principais veículos de comunicação de Pernambuco, participando, inclusive, de um projeto especial do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação – o maior conglomerado de mídia do Norte e Nordeste. A desenvoltura da empresa só reforça que é preciso investir para ter retorno. A matemática do marketing é essa, eu alcanço meus objetivos na medida que eu invisto.

 

Imagem: Pixabay

 

O marketing gastronômico é uma realidade para qualquer empresa do ramo, principalmente num mercado tão competitivo. Não investir é ser passado para trás pela concorrência. Com ele, você melhorará o relacionamento com o seu público e reduzirá possíveis ruídos na comunicação. Ele transforma necessidades em desejos e leva o internauta até o seu estabelecimento. Um ponto importante é que a internet é uma vitrine do seu empreendimento. O mesmo tratamento que você tem em uma plataforma deve seguir fisicamente. Se você postar um prato especial, esse prato deve estar disponível para o público que o procurar. A reputação do seu negócio depende desses mínimos detalhes.

 

Caso você esteja com alguma dúvida sobre como introduzir o Marketing Gastronômico de sucesso em seu empreendimento, entre em contato com a Move On através do e-mail: atendimento@agenciamoveon.com.br.

Os dois anos da Move On e muitos motivos para comemorar

17 DE Abril DE 2018 ESCRITO POR Move On

 

Há 730 dias surgia a Move On, que na época nem era agência e muito menos criativa. Ela era chamada de “projeto”. Na verdade, tudo era novidade. Seus fundadores vieram do jornalismo e, o pouco de marketing aprendido, até então, era o da faculdade. Porém, decidiram investir numa área que era e ainda é tendência no mercado – o marketing digital. Então, decidiram estudar sobre o assunto e entender o fenômeno que seduzia os consumidores e as marcas. Cada um fez um curso, em instituições diferentes. O conhecimento técnico havia sido conquistado, mas precisavam treinar. Então, com a ajuda da amiga Analu Pereira, tiveram a primeira cliente – o ateliê de doces e salgados Delícias da Juli. Recordar o momento inicial da Move On é lembrar de todas as terças-feiras que visitavam a cliente para tirar fotos dos doces e salgados. É essa a força de vontade que os move até hoje.

 

  

 

Passaram meses trabalhando com Juli, a proprietária do ateliê, aprendendo mais sobre doces e salgados e sobre negócios. Sofreram para pegar o melhor ângulo na foto e torceram bastante para que as postagens tivessem o retorno esperado. Foi então que em junho daquele ano, fizeram a primeira campanha – São João Delícias da Juli. Foi um sucesso!!! Várias encomendas, muitos novos clientes e energia renovada. Naquele momento, também foi oferecida a Assessoria de Imprensa para a empreendedora. Era o momento ideal pra Juli mostrar seu negócio para todo o Estado. Após essa investida, mais um sucesso. A Delícias da Juli saiu nos principais veículos de comunicação de Pernambuco, tendo participado até de uma série de vídeos do Jornal do Commercio.

 

 

Aquele marco foi um aviso de que, os então sócios, deveriam continuar com o “projeto” e desbravar novos mares. Mas não foi fácil. Os “nãos” foram muitos. A tristeza era frequente e a vontade de desistir era iminente. Naquele momento, a agência era uma atividade secundária dos sócios. Eles tinham outras fontes de renda como principais. Após um período de baixa, conseguiram novos clientes, do ramo têxtil, que precisavam se reinserir no mercado. O nome Move On só surgiu quase no final daquele ano, quando a então sócia e amiga Nathalia Vanderley sugeriu esse termo em inglês. Xeque mate! Era o que esperavam. Ele os representava. A partir daquele momento, tinham um nome e a agência começava a andar. Foram surgindo novos clientes e a bagagem  aumentava a cada nova experiência.

 

    

 

Relembrar o começo da empresa é importante para dar ênfase à palavra persistência. A Move On, que significa “pra frente”, foi e é o impulsionamento de vários negócios. Ela é fruto da persistência e da resistência ao “fácil”. Desistir e continuar no emprego formal era muito menos estressante para os sócios. Mas eles decidiram sair da zona de conforto e empreender, em ambientes até então desconhecidos. Sofreram muito para aprender. Porém, presenciaram a volta do brilho nos olhos dos clientes, após o sucesso de ações, receberam elogios, viram resultados inesperados e tiveram a certeza de que esse é o caminho que terão que trilhar.  Com o tempo, a equipe aumentou, foram feitas muitas parcerias,  novas amizades e hoje são um pouco de cada convivência desses dois anos. Muito em breve, a Move On dará o próximo grande passo e isso será mais um fruto daquele início, quando não tinham muitas certezas e quando nem sequer tinham nome.

Na Move On, O Ano Novo Já Chegou

22 DE dezembro DE 2017 ESCRITO POR system

Todo fim de ano é a mesma coisa: fazemos uma retrospectiva do ano velho, projetamos o ano novo e comemoramos os resultados. Quando se trata de campanha, o senso comum não fica muito de fora. Utilizamos cores para trazer dinheiro, prosperidade, amor e etc. Os fogos e as árvores de Natal também são presenças confirmadas. Mas, em 2017, decidimos fazer algo diferente. Na verdade, a sacada master foi do nosso designer @michaelqoliveira.

Fizemos um briefing posicionando a campanha para algo fora dos clichês. Queríamos continuar com nossa linguagem descolada, mas sendo algo futurista. O desafio era fazer uma identidade visual que não morresse no ano velho. Então, o Michael decidiu trazer o regionalismo, que nós tanto defendemos, na peça de fim de ano que não acabará em 2017. No início ficamos receosos, mas a defesa e a ilustração nos convenceu que era aquilo que buscamos.

Então, declaramos que decidimos adiantar a folia para que o Carnaval de 2018 dure mais do que os quatro dias oficiais. O que queremos mesmo é que os 365 dias do Ano Novo venham repletos da mesma alegria do período momesco. Que a irreverência do folião pernambucano se perpetue, que os nossos amores durem mais do que as paixões carnavalescas, que nosso pique seja frenético como subir a ladeira da Sé pulando frevo e que tenhamos menos quartas-feiras ingratas. Na Move On, o ano novo já chegou e estamos lhe convidando para curtir conosco.

Livia Bull: Case de Marketing Imobiliário

ESCRITO POR system

No dia 28 de novembro de 2016, a corretora Livia Bull deu um passo estratégico para melhorar as suas vendas de imóveis. Ao contratar a Move On para administrar o seu marketing imobiliário, ela decidiu surfar na onda em que os grandes corretores estão fazendo, principalmente no sudeste do País. No começo não foi fácil, pois vender bens de valor agregado alto, nas mídias sociais, é um desafio diário. Porém, quando o negócio engrenou, os excelentes resultados chegaram.

Aos poucos, Livia Bull foi conquistando seu espaço, ganhando notoriedade e sendo destaque nas mídias. No 2º trimestre de 2017, ela foi 3º lugar em vendas na imobiliária em que trabalha. Mas com muito trabalho e estratégia, a corretora conseguiu avançar duas posições nos meses seguintes e foi o 1º lugar em vendas, no 3º trimestre do ano. Com a Bull entendemos que é possível fazer um job diferenciado e focado na experiência do cliente. Este é o segredo dos resultados positivos dela, em tão pouco tempo.

Há clientes que chegam e marcam a vida da agência. A corretora Livia Bull é uma delas. Com o seu jeito atencioso e profissional, conquistou a todos da Move On. Aos poucos, Livia foi ganhando espaço e se destacando nesse novo ambiente, que é a internet. No fim de novembro de 2017, comemoramos o nosso 1º ano de parceria. Foram meses de dedicação, mergulho no marketing imobiliário e muitas conquistas, comemoradas uma a uma por todos nós. Atender Livia é sempre um prazer para a Move On. Desejamos muito sucesso para ela, nesta caminhada que não é fácil, mas que se continuar com garra, vontade de vencer e competência, irá muito longe.

Ainda Vale a Pena Investir em Impressos?

21 DE dezembro DE 2017 ESCRITO POR system

Na era digital e das atenções voltadas para o meio ambiente, os materiais impressos tendem a perder espaço em todas as áreas. Por isso, muita gente fica com dúvida se ainda vale investir neste recurso. Mesmo com o número de uso de dispositivos móveis aumentando a cada ano, o consumo de papel ainda resiste.

Certamente, a nova geração não será tão familiarizada com ele, mas os impressos ainda são recursos indispensáveis para comunicar algo para o público-alvo das empresas. A equipe de Direção de Arte da Move On desenvolve peças que são atrativas para os clientes e que repassam a comunicação desejada por nosso parceiro. Pensamos de forma holística para proporcionar uma experiência diferenciada.

Além da criação dos materiais, também discutimos o melhor formato com o cliente, visando sempre a inovação na área de atuação dele. Ao fazer esse trabalho diferenciado, os nossos clientes ganham notoriedade e vendem muito mais. Não basta imprimir a ideia, é preciso pensar estrategicamente em como aquelas informações serão analisadas pelas pessoas. Diversas peças gráficas são criadas por nossa equipe e são impressas em empresas gráficas parceiras. São outdoors, painéis, folders, móbile de teto, display de preços, cartões de visita, catálogos, adesivos, cartões postais, dentre outras peças. Enquanto o papel resistir, ainda vale muito a pena investir em impressos.